Quem quer de fato a Liberdade de Imprensa. A Folha de São Paulo?


Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

“Liberdade de imprensa é um dos princípios pelos quais um Estado democrático assegura a liberdade de expressão aos seus cidadãos e respectivas associações, principalmente no que diz respeito a quaisquer publicações que estes possam pôr a circular.

Geralmente, refere-se a material escrito mas, segundo alguns autores, o termo “imprensa” pode, por vezes, alargar-se a outros meios de comunicação social. De qualquer forma, a liberdade de imprensa corresponde a uma garantia menos geral que a “liberdade de expressão“, que se aplica a todas as formas de comunicação (por exemplo, nas artes).

Cada governo tem competências para legislar em relação a esta matéria de forma a classificar os assuntos que devem ser do conhecimento público ou não, de acordo com os interesses governamentais (mesmo em sociedades democráticas, existe o segredo de Estado, por exemplo).”

Prá começar a tentar entender esse debate que cada vez mais se torna necessário no nosso Brasil,procurei saber até onde o direito de imprensa e a liberdade de expressão podem chegar.

Assim uma definição que com certeza não é unanime pode clarear bem mais essa pequena discussão que tento fazer nos meus devaneios sociais, por isso a definição acima.

Assim nada melhor do que procurar na nossa história recente, se o direito à liberdade de imprensa assegurada nos Estados democráticos que também garante a liberdade de expressão estava a garantia da inverdade ou da inversão de posições diante de fatos históricos?

E por mais que procurasse , a resposta era sempre a mesma , a mentira e se for histórica é a mentira descabida de quem não tem coragem de contar a verdade aos seus eleitores de hoje.

Esse fato me chamou atenção a alguns jornais que tentam a todo momento dizer que não tem lado ,  estão do lado da verdade e do jornalismo  sério e democrático…

E pasmem , mais uma vez fui procurar na História recente desse país a prova dos guardiões da verdade e da democracia e acima  de tudo do jornalismo verdade…

Não acreditei –  Passo a mostrar aqui o que a FOLHA DE SÃO PAULO , pensava da ditadura e do governo Emílio Garrastazu Médici.

Editorial Folha de S.Paulo
[Publicado em 22 de setembro de 1971]
Neste texto foi mantida a grafia original da época
Banditismo

OCTAVIO FRIAS DE OLIVEIRA*
A sanha assassina do terrorismo voltou-se contra nós.

Dois carros deste jornal, quando procediam ontem à rotineira entrega de nossas edições, foram assaltados, incendiados e parcialmente destruidos por um bando de criminosos, que afirmaram estar assim agindo em “represalia” a noticias e comentarios estampados em nossas paginas.

Que noticias e que comentarios? Os relativos ao desbaratamento das organizações terroristas, e especialmente à morte recente de um de seus mais notorios cabeças, o ex-capitão Lamarca.

Nada temos a acrescentar ou a tirar ao que publicamos.

Não distinguimos o terrorismo do banditismo. Não há causa que justifique assaltos, assassinios e sequestros, muitos deles praticados com requintes de crueldade.

Quanto aos terroristas, não podemos deixar de caracterizá-los como marginais. O pior tipo de marginais: os que se marginalizam por vontade propria. Os que procuram disfarçar sua marginalidade sob o rotulo de idealismo politico. Os que não hesitaram, pelo exemplo e pelo aliciamento, em lançar na perdição muitos jovens, iludidos, estes sim, na sua ingenuidade ou no seu idealismo.

Desmoralizadas e desarticuladas, as organizações subversivas encontram-se nos estertores da agonia.

Da opinião publica, o terror só recebe repudio. É tão visceralmente contrario às nossas tradições, à nossa formação e à nossa indole, que suas ações sào energicamente repelidas pelos brasileiros e por todos quantos vivem neste pais.

As ameaças e os ataques do terrorismo não alterarão a nossa linha de conduta.

Como o pior cego é o que não quer ver, o pior do terrorismo é não compreender que no Brasil não há lugar para ele. Nunca houve.

E de maneira especial não há hoje, quando um governo serio, responsavel, respeitavel e com indiscutivel apoio popular, está levando o Brasil pelos seguros caminhos do desenvolvimento com justiça social – realidade que nenhum brasileiro lucido pode negar, e que o mundo todo reconhece e proclama (grifo meu).

O Brasil de nossos dias é um país que deseja e precisa permanecer em paz, para que possa continuar a progredir. Um país onde o odio não viceja, nem há condições para que a violencia crie raizes.

Um pais, enfim, de onde a subversão — que se alimenta do odio e cultiva a violencia — esta sendo definitivamente erradicada, com o decidido apoio do povo e da Imprensa, que reflete os sentimentos deste. Essa mesma Imprensa que os remanescentes do terror querem golpear.

Porque, na verdade, procurando atingir-nos, a subversão visa atingir não apenas este jornal, mas toda a Imprensa deste pais, que a desmascara e denuncia seus crimes.

PS do Viomundo: Otávio Frias de Oliveira emprestou carros da Folha para ações da Operação Bandeirantes, que torturava, assassinava e “desaparecia” com adversários do regime. O governo a que ele se refere no artigo é o do general Emilio Garrastazu Médici, o mais violento na repressão política à oposição.

Ano de 1971 , onde o grande herói da Folha de São Paulo era nada mais nada menos do que o assassino Emílio Garrastazu Médici e essa reação toda era em resposta ao flagrante de carros da Folha de São Paulo  participando ,junto com as forças de tortura da época em operações de assassinatos e que desapareciam com os adversários do regime ao qual o  jornal concordava segunda o editorial acima.

Do que estamos falando hoje mesmo?

De liberdade de imprensa e de expressão?

Parece que as coisas mudaram mesmo.

Quem é que não defende o direito a expressão?

Quem é que não defende o direito  à Liberdade?

É sempre bom podermos analisar o passado; e chegarmos às nossas conclusões: para não nos arrependermos no futuro de acusações que façamos no presente!

XICOLOCCO

*esse material só foi possível recuperar,graças ao contexto.blogspot.com – 02/2011 na matéria –Homenagem á Folha de São Paulo

Anúncios
por NCC NOTÍCIAS CONTOS E CAUSOS Postado em Lembranças

2 comentários em “Quem quer de fato a Liberdade de Imprensa. A Folha de São Paulo?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s